‘Zootopia'(2016)

Zootopia-Poster

Que a Disney é o estúdio número 1 em dar lições de moral em crianças, isso todos já sabem. Mas fazer críticas agudas ao racismo, muitas vezes velado, que existe na sociedade é um acontecimento que, acho eu, ninguém estava esperando. É o que acontece em ‘Zootopia’ (só ‘Zootopia’, o subtítulo é uma vergonha), animação da Disney que funciona perfeitamente como filme de mistério, metáfora e diversão infantil. O termo “diversão infantil” pode ser facilmente revisto, já que os pais que acompanham as crianças na sessão vão se divertir do mesmo modo. Talvez até mais, porque, para eles, o filme vai fazer muito mais sentido.

Judy Hopps é uma coelhinha da zona rural que desde pequena sonha em se tornar a primeira oficial coelha do Departamento de Polícia de Zootopia. Quando consegue se graduar e mudar para a cidade, ela é colocada para trabalhar como guarda de trânsito, pois todos duvidam de seu potencial. Em um dos dias como guarda, ela conhece Nick Wilde, um malandro cínico e trapaceiro que tira sarro de todos os sonhos ingênuos de Judy. Até que um misterioso desaparecimento acaba fazendo com que os dois se unam para desvendá-lo e para que Judy consiga provar que é capaz de trabalhar como policial, assim como qualquer outro mamífero.

bunny1

‘Zootopia’ ganha pontos imediatamente por conta da sua protagonista. Judy Hopps é alegre, confiante, entusiasmada e vai sempre atrás do que quer, independente do que aconteça. Ela é muito doce e carismática e faz o público festejar suas descobertas durante todo o filme. Nick está no outro oposto, mas é um personagem tão interessante quanto. A amizade que vai crescendo entre os dois é o ponto alto da história e o contraste entre eles traz muitos bons momentos: ela, cheia de entusiasmo, ele, cínico com a vida.

É possível encontrar muitos traços feministas na Judy. Ela é a única mulher entre os homens no Departamento de Polícia, por exemplo. Mas o filme não se prende a esse aspecto. Ele está mais interessado em falar de racismo sob a metáfora de predadores e presas que, até então, convivem em harmonia, mas que em determinado momento vão por à prova essa relação “perigosa”. Uma declaração em uma coletiva de imprensa é o que basta para Judy deflagrar um generalismo que acaba com toda a ideia de comunhão que ela própria admirava.

zootopia-review

‘Zootopia’ como filme de mistério funciona muito bem. Ele é bem conduzido, as pistas são bem distribuídas, mas a resolução de tudo é muito abrupta. Ainda que necessária para o ótimo desfecho da história, essa primeira resolução poderia ter sido menos sentida. O humor do filme é sensacional, na medida exata para não desviar a atenção do que há de principal: a história. Destaque para a sequência brilhante das preguiças do Departamento de Trânsito. Poucas vezes vi uma cena tão absurdamente engraçada quanto essa em animações.

Mas lições de moral Disney à parte (elas estão sempre lá), ‘Zootopia’ é um filme para se ver e rever algumas dezenas de vezes, de tão engraçado, atual e apaixonante que é. Protagonistas excelentes, roteiro bem amarrado, humor pontual. É assim que se fazem filmes de animação extraordinários. O alívio entre os blockbusters barulhentos (sempre) em cartaz.

Crystal Ribeiro

ZOOTOPIA


ZOOTOPIA
ANO: 2016
DIREÇÃO: BARON HOWARD, RICH MOORE
ROTEIRO: JARED BUSH, PHILL JOHNSTON
ELENCO: GINNIFER GOODWIN, JASON BATEMAN, IDRIS ELBA, JK SIMMONS, JENNY SLATE, OCTAVIA SPENCER, SHAKIRA
NOTA: 5 ESTRELINHAS